segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Desdizer.


Ando cansado de rimas.
Quero as frases imperfeitas, desorientadas
Quero a rebeldia poética.
Uma guerra declarada ao certo, o correto e nem um pouco duvidoso.
Desconfio de tudo que anda na linha
Prefiro aqueles que caem.
Estes sabem o valor do chão sujo adornando o rosto.
Afinal, ter sorte é encarar a morte e dizer bom dia.